Prop

19 de Fevereiro de 2016

Pesquisadores da UESPI desenvolvem aplicativos para combate à Dengue e Zika

Valéria Soares

Pesquisadores da Universidade Estadual do Piauí – UESPI desenvolvem medidas e práticas para combater o mosquito Aedes Aegypti e o Zika Vírus. Os aplicativos “De Olho na Dengue” e “Zika Zero” são as novas plataformas tecnológicas para diagnosticar a presença do mosquito na sua cidade, bairro, rua e casa.

O professor do curso de Ciência da Computação da UESPI, Dr. Bringel Filho, através do Centro Unificado de Inovação Aplicada-CUIA da IES, é um dos pesquisadores que trabalha para implantar os dois app’s e potencializar o trabalho coletivo em torno do combate aos focos do vírus. O app “De Olho na Dengue”, já faz parte de um projeto elaborado na instituição, que trabalha diretamente com os problemas da população,  o app  “De Olho na Cidade”.

Professor Bringel Filho demonstra como utilizar a ferramenta de combate ao mosquito

Professor Bringel Filho demonstra como utilizar a ferramenta de combate ao mosquito

Segundo o docente,  esse app permite que as pessoas participem de contribuições sociais, nas áreas de mobilidade, educação e saúde, por exemplo.  O app ” De olho na Dengue”, já estava incluso nessa plataforma, mas foi pensado em um app mais específico para o combate ao mosquito.  “A ferramenta permite que a população indique os focos de dengue”, explicou Bringel.

Ainda de acordo com Bringel a Agência de Tecnologia da Informação do Estado do Piauí- ATI, recebeu uma demanda da Secretaria de Saúde do Piauí- SESAPI para que fosse implantado um app , onde a população  possa fazer denúncias sobre o Zika. O “Zika Zero” é um app desenvolvido para uso do Estado do Piauí, resultado do convênio da UESPI com a ATI, que vai ser lançado em março de 2016.

Passo a passo do app " De olho na Dengue"

Passo a passo do app ” De olho na Dengue”

As ferramentas vão auxiliar na identificação dos focos de dengue, a partir da participação popular. “O cidadão baixa o app, visualiza a manifestação do mosquito em um terreno baldio, praça ou quintal. Ao perceber que o local está disseminando o vírus, pode tirar uma foto ou fazer um vídeo e então informar a localização e enviar”, detalha Bringel, sobre o manuseio da ferramenta ” De olho na Dengue”.

O “Zika Zero” será semelhante, e os dados das duas plataformas serão recebidos pelo portal de controle da SESAPI. “A intenção é fazer com que a Secretaria tenha mais informações sobre os locais disseminadores do mosquito”, pontuou o docente. O app “De Olho na Dengue” já está disponível para o Piauí e outros estados no Google Play Store para smartphones e tablets, com o sistema operacional Android no link.

scatvids.club A LOT OF CRAP javcinema.com