Notícias

2 de Abril de 2020

#uespificaemcasa: Estudantes de Engenharia Elétrica realizam projetos de combate ao Covid-19

Por Priscila Fernandes

Depois de construírem a própria impressora 3D, os pesquisadores do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Energias Renováveis e Tecnologias Sociais (GIPERTS), da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), estão desenvolvendo a versão Beta de máscaras EPI para profissionais de saúde e também trabalhando em um projeto de respiradores para doação.

As máscaras EPI, diferente das comuns, proporcionam mais proteção aos profissionais e têm um baixo custo e um grande benefício, porque as regiões que estão mais expostas às infecções, como a boca e o nariz, serão protegidas com as máscaras. No total são 14 alunos do curso de Engenharia Elétrica que fazem parte do GIPERTS que, mesmo com o isolamento social, desenvolvem estratégias e pesquisas em prol da coletividade e, em particular, dos profissionais da saúde.

Máscaras sendo produzidas pela impressora 3D

Ao todo já foram produzidas 40 máscaras com proteção facial que serão encaminhadas para os hospitais. O professor e um dos coordenadores do grupo, Juan Aguiar, afirma que o objetivo é aumentar a produção dessas máscaras para chegar também aos profissionais do interior do estado, mas para isso o grupo está precisando a colaboração de outras pessoas.

“No momento, estamos ainda precisando do fornecimento e doação de materiais para que possamos continuar nosso trabalho. Sabemos que a demanda é grande, então, queremos materiais das máscaras ou até mesmo materiais para fomentar a produção de impressoras e assim agilizarmos a produção das máscaras”, explicou.

Além das máscaras de EPI, os pesquisadores objetivam a construção de respiradores também para doação. Desde o surgimento do vírus, na China, o grupo observou que um dos principais sintomas do Coronavírus era o problema respiratório com a insuficiência pulmonar, por isso, estudam formas de contribuir nesse aspecto.

“Nós buscamos estudar a possibilidade da criação de respiradores dentro da própria UESPI com materiais de baixo custo e mas confiáveis. Estamos na fase de análise de como isso pode ser feito de forma rápida e eficaz, pois requer muito cuidado e responsabilidade, além também de conhecimentos na área da fisiologia. Então, estamos estudando como podemos iniciar a parte prática desse projeto o mais rápido possível”, complementa o professor Juan.

O estudante do curso, Rafael Gomes, acrescenta que o desenvolvimento dos respiradores é como uma junção de vários projetos que o grupo já tem. “Com essa ideia, estamos fazendo com que todos os nossos projetos se complementem, por exemplo, não devemos pensar somente no respirador em si, mas na resistência e energia que ele vai precisar. A energia de Teresina é muito instável, então, nós entraríamos também com o desenvolvimento de energia solar para abastecer esse respirador, tornando o respirador independente da energia elétrica”, destacou.

Os integrantes do grupo produzindo máscaras para ajudar no combate ao Covid-19 no início da Pandemia

O projeto dos respiradores entrará em vigência em breve. Os pesquisadores estão se reunindo virtualmente para discutir formas de trabalhar nessa ideia sem colocar em risco a saúde de nenhum estudante.

Alguns dos materiais que os estudantes estão recebendo são: Impressora Ender 3; Kit de montagem impressora; Material para impressão ABS ou PLA; Folha de acetato; Motores de passo Nema 17; Hotends; Acopladores 5x8mm p/ motores ; Guias lineares de 8x600mm; Castanhas para fuso de 8 mm; Polia  GT2; Pillow block 8 mm; Pilow block 12 mm; Assoprador térmico; Suporte p/ferro de solda; Placa de fenolíte cobreada; Carretel de estanho;Elástico super resiste fino; Multímetro digital; Baterias de 9V recarregável; Ferro de solda 40W 220V;Motor elétrico Universal 250W; kit Arduino robótica; Curto-circuito; Notebook dell inspiron I5 8GB 1TB W10 3/8 sensor de fluxo+Contr.de Vazão+LCD; Reanimador Ressuscitador Manual; Central de solda Wattímetro Digital; medidor de consumo e uma Fonte chaveada estabilizada.

Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Energias Renováveis e Tecnologias Sociais (GIPERTS)

O grupo é coordenado pelos professores Juan Aguiar (Engenharia Elétrica) e o Orlando Berti (curso de Jornalismo), e foi formado com o objetivo de socializar pesquisas na área de tecnologias e de energias renováveis.

“O Piauí é um dos maiores polos de energia renovável não somente do Brasil, mas da América Latina. Então, nosso objetivo é fomentar a pesquisa nessa área e também divulgar mais ainda esses trabalhos que trazem inovação e sustentabilidade”, afirmou o prof. Juan Aguiar.

Coordenadores e alunos do grupo

Além dessas atividades, o grupo também tem projetos focados no desenvolvimento de ferramentas para a própria pesquisa, como uma bancada didática de geração hidrelétrica, um multimedidor de variáveis elétrica e uma impressora 3D. Todos esses são essenciais para o desenvolvimento de projetos do grupo.

Seu curso tem um projeto bacana e quer ver ele aqui no site da UESPI?
Envie informações à Ascom para o email: comunicacao@uespi.br

Siga a #NossaUespi nas redes sociais: Twitter, Facebook, Instagram e Youtube.

scatvids.club A LOT OF CRAP javcinema.com