Extensão

A contato entre as ações desenvolvidas na academia e a sociedade acontece por meio da Extensão Universitária, com base em um processo educativo, cultural e científico. A relação entre o ensino e a pesquisa com a comunidade em que a a Universidade está inserida, se dá no desenvolvimento dos projetos de extensão que visam observar e atender as demandas sociais mais diversas.

Alguns dos programas de Extensão Universitário desenvolvidos pela UESPI são o PROEXT (Programa de Extensão Universitária MEC/Sesu), com submissão de 26 propostas em 2014 e atração de recursos financeiros, o PIBEU (Programa Institucional de Bolsas em Extensão Universitária), que em 2014 oferece 70 bolsas e o PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência).

Total de bolsas de extensão:


  • 840 estudantes da UESPI,
  • 116 supervisores e
  • 57 coordenadores de área.

Programas socioculturais

Universidade Aberta à Terceira Idade - UNATI:

É um projeto de extensão da UESPI que atende pessoas a partir de 55 anos de idade, desenvolvendo atividades intelectuais, considerando as perspectivas da educação continuada e estimulando o resgate da cidadania. O projeto foi implantado em abril de 2007 e oferece disciplinas de diversas áreas, distribuídas em cinco módulos, com quatro disciplinas por semestre. As aulas são ministradas em dois dias da semana, no turno da manhã. O projeto tem carga horária total de 400 horas, com duração de dois anos e meio e funciona no Campus Poeta Torquato Neto em Teresina (PI). As aulas da UNATI são ministradas por professores da UESPI, como complemento de carga horária; ex-alunos da UESPI ou professores convidados da comunidade. Os docentes são voluntários, não recebem, portanto, remuneração. Também fazem parte da programação da UNATI as atividades sociais, como comemorações de datas, palestras, passeios e participação em eventos científicos e culturais em todo o Brasil.

Núcleo de Atividade Física para a Terceira Idade - NUTI:

É um projeto que atende cerca de 250 pessoas a partir de 55 anos de idade buscando proporcionar uma melhor qualidade de vida, por meio da participação em atividades físicas, culturais e de lazer. Foi implantado em maio de 2003, motivado pelo aumento da expectativa de vida da população e a consequente necessidade de incentivo à adoção de uma alimentação mais equilibrada aliada à prática regular de atividades físicas. O objetivo é garantir o envelhecimento ativo e saudável com atividades junto à sociedade, proporcionando a elevação da auto-estima. As atividades são desenvolvidas por alunos extensionistas dos cursos de Educação Física e Medicina. O núcleo funciona com encontros duas vezes por semana, com duração de uma hora/aula, nos turnos manhã e tarde. Nas aulas são desenvolvidas atividades físicas, como: ginástica localizada, recreativa e aeróbica de baixo impacto, utilizando materiais alternativos como bola, toalha, bastões, halteres e elástico; além da dança e de jogos recreativos. Ações sociais também fazem parte da programação do NUTI, destacando-se as comemorações de datas, passeios e palestras.

Coral da UESPI:

criado em 1991, pelo Professor e Regente Antonio Gonçalves Rodrigues, tem o objetivo de promover o crescimento e o gosto cultural de seus participantes, bem como da comunidade acadêmica e comunidade em geral, assim como participar de eventos cívicos, culturais e religiosos e despertar na comunidade o interesse pela música, sobretudo pelo canto coral. O grupo é composto, atualmente, pela regente Professora Maria Cláudia Anjos e Tenório e 32 membros. O processo seletivo para composição do coral é feito através de Edital da Pró-reitoria de Extensão, onde são disponibilizadas vagas para alunos, servidores e comunidade externa e acontece anualmente.

Corpo de Dança da UESPI:

é um projeto cultural permanente criado em julho de 1990 e regulamentado em 2006, com o objetivo de pesquisar, resignificar e divulgar o folclore piauiense, além de integrar a comunidade acadêmica à comunidade externa. É composto atualmente por membros que recebem bolsa-cultural pagas com recursos financeiros próprios. O ingresso no Corpo de Dança da UESPI acontece através de seleções semestrais. O projeto possui um público diversificado, que abrange discentes, docentes, servidores e comunidade em geral.

Teatro Cahuaham

iniciou suas atividades no ano de 2004 visando à formação de atores e multiplicadores, além de desenvolvimento do processo de inclusão sociocultural em docentes, discentes e comunidade em geral. O projeto é aberto a toda a comunidade e atende a um público variado.

Grupos de Capoeira:

tem como objetivo oportunizar a aprendizagem vivencial operativo da capoeira em todas suas dimensões e suas múltiplas abrangências nas áreas com as quais apresenta interfaces. Discentes, docentes, servidores e comunidade em geral podem participar. Cerca de 71 pessoas compõem o projeto atualmente.

Cursos livres de extensão:

são projetos permanentes que atendem cerca de 500 alunos por semestre e são abertos a toda a comunidade. Os cursos oferecidos são Inglês e Espanhol conversação, Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS e Inglês e Espanhol instrumental. Os cursos são divididos por módulos, um a cada semestre e todos com certificação individual de 60 horas/aula. As inscrições são abertas semestralmente e é possível acompanhar o lançamento do edital por meio do calendário acadêmico da UESPI, onde serão disponibilizadas as informações quanto às turmas e aos horários disponíveis, bem como local de inscrição, documentação exigida, valores e material didático.

  • Inglês Conversação: a UESPI disponibiliza cursos de língua Inglesa desde a década de 1990, mas foi apenas nos anos 2000 que, após passar por um processo de revisão e instrumentalização, o projeto adotou a metodologia com a qual opera até os dias atuais. Aberto a toda a comunidade, o curso tem como objetivo central contribuir para uma formação completa do individuo, propiciando a inclusão no mundo globalizado.
  • Inglês Instrumental: o projeto entrou em execução em 2010 com o objetivo de aprimorar habilidades de leitura em língua inglesa entre os estudantes das mais diversas áreas de conhecimento, visando atender a necessidades futuras na busca por seus mestrados e doutorados. Até o momento, o curso é disponibilizado em modulo único com duração de 60 horas/aula.
  • Espanhol conversação: o curso é disponibilizado em quatro módulos semestrais e tem como objetivo atender as pessoas interessadas em comunicar-se na língua espanhola, ampliando assim sua visão de mundo, e oferecendo conseqüente capacidade reflexiva e qualificação.
  • Espanhol Instrumental: o projeto foi elaborado e instituído em 2010, visando a capacitação dos profissionais de diversas áreas, sobretudo de Letras, para a leitura e compreensão de textos em língua espanhola.
  • Curso Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS: o curso tem por finalidade a vivência de políticas de formação continuada, proporcionando aos alunos e professores experiências de comunicação com pessoas surdas, utilizando dessa forma a LIBRAS como ferramenta de inclusão nos diversos meios educacionais.

Assistência estudantil

Tem por objetivo a interação e o pleno exercício da cidadania na comunidade universitária. Destaca-se a articulação de parcerias com instituições públicas e privadas para a ascensão dos discentes no mercado de trabalho através do estágio e a inserção dos alunos carentes e com deficiência visual e/ou auditiva nos Programas de Assistência Estudantil. Também visa à disponibilização de apoio social e orientação psicológica e a oferta de subsídios aos estudantes com o intuito de aprimorar sua formação acadêmica.

Conta ainda com ações que buscam a valorização da organização estudantil, a prática de atividades socioeducativas, culturais e físicas para os funcionários e o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para Assistência Social.

Bolsa-Trabalho:

204 estudantes atendidos.

O programa Bolsa Trabalho tem como objetivo principal viabilizar a permanência de estudantes de baixa renda no curso universitário. Foi implantado em 2003 e desde então vem atendendo discentes com perfil socioeconômico insuficiente para o desenvolvimento de suas atividades acadêmicas, os quais tiveram a oportunidade de complementação de recursos financeiros para permanência na UESPI.

O assistido tem assegurado o pagamento mensal de uma bolsa, com valor fixado pela UESPI, e deverá cumprir carga horária de 20 horas semanais. A bolsa tem duração de 06 meses, podendo ser renovada de acordo com a avaliação das necessidades do aluno, bem como seu desempenho como bolsista. O prazo máximo de permanência do aluno no Programa Bolsa Trabalho é de 02 anos.

Os estudantes podem ingressar no Programa, a partir do primeiro período do curso e as atividades desenvolvidas pelos mesmos, não tem vinculação direta com o curso por eles realizado. Além de complementar o custeio das despesas acadêmicas, o Bolsa Trabalho desenvolve nos alunos habilidades secundárias de grande importância, como a contribuição para o desenvolvimento do senso de responsabilidade e ética profissional, a experiência e qualificação profissional e o acompanhamento pedagógico e sócio cultural.

A seleção do programa ocorre anualmente, assim como a revisão do perfil socioeconômico. O bolsista recebe orientação, apoio e atendimento social. Para inclusão no programa, o aluno deve estar regulamente matriculado nos cursos de Graduação da UESPI e comprovar situação econômica insuficiente para sua permanência na graduação. Além disso, o candidato deve ter disponibilidade de tempo para o exercício de atividades, sem vínculo empregatício, dentro da Instituição.

Auxílio-Moradia:

O projeto é uma forma encontrada de apoiar estudantes em situação de vulnerabilidade social e oferece auxílio aos alunos da instituição que residam em localidade diferente daquela em que desenvolvem suas atividades acadêmicas e que, comprovadamente, não tenham condições de manter-se residindo próximo ao campus em que estudam.



Apoio Pedagógico e Psicológico a alunos com necessidades especiais

O Programa visa apoiar aos estudantes dos cursos de graduação da UESPI que possuem deficiência auditiva e/ou visual. O programa teve início no ano de 2003, motivado pelas demandas apresentadas pelos discentes com deficiência que ingressavam na UESPI.

A assessoria é prestada através de acompanhamento individualizado, onde um colega de turma previamente selecionado recebe uma bolsa para auxiliar na garantia do direito de integração do aluno deficiente ao meio acadêmico. O Graduando recebe uma atenção diferenciada a fim de lhe proporcionar orientações pedagógicas e inclusão dentro e fora da sala de aula.

A concessão da bolsa de “Apoio Pedagógico” é coordenada e supervisionada pelo Serviço Social da Pró–Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários, cabendo a este a responsabilidade pelo processo de seleção dos bolsistas, acompanhamento social dos participantes do programa e também pela avaliação dos resultados junto aos alunos assistentes e assistidos.

  • Apoio a Programas, Projetos e Eventos de Extensão.
  • Convênios com instituições públicas e privadas, viabilizando estágios aos alunos