Prop

22 de Agosto de 2013

Palestra de Doutora da UFC marca aula inaugural do ProfLetras

A aula inaugural do ProfLetras, Mestrado Profissional em Letras da Universidade Estadual do Piauí -UESPI, ocorreu na manhã desta quinta-feira, 22, no Auditório Central da UESPI. O evento marcou a entrada dos 30 aprovados no novo curso de Pós-Graduação oferecido na Instituição, o Mestrado Profissional, que oferece aos discentes uma qualificação voltada para a melhoria do ensino, diferentemente do mestrado acadêmico, mais focado em pesquisa.

O coral da UESPI, regido pela professora Maria Cláudia dos Anjos e Tenório, marcou o início do evento e incluiu em seu repertório uma homenagem a Teresina, em virtude de seu aniversário. A mesa de honra foi formada pelo reitor Professor Carlos Alberto, pelo vice-reitor, Prof. Dr. Nouga Cardoso, pela presidente da FAPEPI, Profa. Dra. Bárbara Melo, pela coordenadora do ProfLetras, Ailma do Nascimento, pelo Pró-Reitor da PROP, Geraldo Luz e pelo coordenador do Mestrado Acadêmico em Letras, Feliciano Bezerra.

O evento foi marcado pela palestra da Professora Doutora Mônica Magalhães, da UFC, que discorreu a respeito da análise textual, e das diversas nuances que envolvem a leitura e a compreensão dos textos. Tais como texto, cotexto e contexto. A professora procurou conceituar e contextualizar os conceitos apresentados através de exemplos.

Na mesa, a professora Ailma destacou o importante papel do curso de Letras na UESPI, que desde 1996 atua com diversos grupos de pesquisa dentro da instituição e que, em 2010, foi contemplado com o curso de Mestrado Acadêmico em Literatura, e agora em 2013 inicia seu Mestrado Profissional. “A UESPI foi a segunda universidade mais concorrida do ProfLetras, perdendo apenas para a Universidade Federal do Pará. Foram 730 candidatos para 30 vagas”. Em todo o Brasil, foram ofertadas 866 vagas para o ProfLetras.

O Pró-Reitor Geraldo Luz falou, principalmente, da questão qualitativa do exame, pois, segundo ele, além da grande concorrência, a nota de corte também foi alta, o que valorizou ainda mais os alunos aprovados. “É um momento novo na instituição, pois antes tudo era voltado para o ensino e agora temos planejamento e ações voltados para pesquisa e pós-graduação”, acrescenta.

Reiterando o ponto deixado pelo Pró-Reitor Geraldo Luz, o Reitor Carlos Alberto também pontuou a importância de se investir no professor. Segundo ele, é preciso investir ainda mais para que o analfabetismo seja erradicado, ainda mais o analfabetismo funcional (O ProfLetras é voltado para Linguagem e Letramento). “A UESPI foi a única universidade a lançar 170 professores para projetos de mestrado, e agora é hora de colher os frutos”, finalizou o professor, ressaltando a importância da qualificação dos mesmos.

Ana Cristina

Para a aluna Ana Cristina, vinda de Caxingó, norte do Piauí, e uma das aprovadas no ProfLetras, “o programa é uma oportunidade de melhorarmos a prática, e melhorarmos também o currículo. Nós estamos em sala de aula, trabalhando em sala de aula, mas estamos estudado para sermos mestres, para voltarmos e continuarmos atuando com nossos alunos, aplicando o que aprendemos no mestrado profissional”, finalizou.

Jônatas Freitas (Estagiário-Ascom)