Notícias

11 de Setembro de 2019

Projetos da UESPI levam discussões ambientais para a comunidade

Por Clayton Gomes

Em um período marcado por desmatamento e queimadas em diversas regiões brasileiras, a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) promove um Projeto de Extensão que propõe disseminar conhecimentos a respeito de questões ambientais em escolas públicas de ensino fundamental, e realiza oficinas sobre Fenômenos Atmosféricos para servidores do município de Timon.

O Projeto “Educação ambiental em escolas públicas de ensino fundamental” visa estimular os estudantes quanto à importância de preservar o ambiente, conscientizando-os e fazendo-os interagir com o meio em que habitam.

Coordenada pela Profª Margarita Lopez Gil, docente do curso de Engenharia Civil da UESPI, a Extensão busca aproveitar o efeito multiplicador que crianças e jovens representam dentro da sociedade, visto que são mais receptivos e compreensíveis, isto é, tendem a aceitar melhor as ideias e compartilhá-las no ambiente onde se desenvolvem (família, vizinhos e amigos).

As atividades buscam educar as crianças, para que elas compartilhem esse conhecimento e cresçam conscientes de seus deveres para com o meio ambiente | Foto: Relatório do Projeto

Através de atividades preparadas pelos  alunos do curso de Engenharia Civil, o Projeto vislumbra um novo modelo de sociedade através da conscientização das futuras gerações, com o objetivo de garantir a sustentabilidade do planeta.

Segundo a coordenadora do Projeto, Profª Margarita Lopez Gil, a Extensão é uma forma do Centro de Tecnologia e Urbanismo (CTU) da UESPI contribuir com a sociedade e semear a ideia da preservação ambiental nos jovens, para que eles sejam multiplicadores dessas informações.

As crianças interagem bastante durante as atividades organizadas pelos futuros engenheiros | Foto: Relatório do Projeto

Ela ressalta que é importante atividades como essa serem introduzidas nas escolas já nos primeiros anos. “Desta forma, estimulamos o senso crítico dos jovens para mudanças nas atitudes e desenvolvemos o senso de responsabilidade neles a respeito de questões ambientais”, explica.

Na Extensão, as crianças percebem os problemas ocasionados pela atividade humana, sendo estimuladas a cuidar do meio ambiente | Foto: Relatório do Projeto

Oficina de Fenômenos Atmosféricos

Outra atividade em que a UESPI está presente para discutir questões ambientais é a oficina “Fenômenos atmosféricos adversos e severos: vulnerabilidade e riscos”, que acontece no auditório do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), em Timon. O responsável por ministrar a oficina é o professor Werton Costa, mestre em Geografia e docente da UESPI. A próxima oficina acontece nesta quarta-feira (11/09).

Organizado pela Prefeitura de Timon, a oficina reúne profissionais da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SEMDES), Secretaria Municipal de Planejamento (SEMPLAN), Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA).

Dividida em dois encontros, sendo o último amanhã (11), a oficina busca preparar os servidores para algumas situações advindas de fenômenos atmosféricos severos | Foto: Prefeitura de Timon

Segundo o professor Werton Costa, a oficina visa capacitar os profissionais acerca dos fenômenos atmosféricos severos, isto é, fenômenos relacionados aos excedentes de chuva – que provocam inundações, enxurradas, ventos fortes, descargas elétricas – ou à seca. “Na oficina apresentamos algumas informações básicas para que o servidor tenha conhecimento de como esses fenômenos podem acontecer e como se comportar diante deles”, explica.

Além de climatologista, Werton Costa também é docente da UESPI, lotado no curso de Geografia do campus Clóvis Moura | Foto: Prefeitura de Timon

Ainda de acordo com o professor, diante da situação de mudanças climáticas, ocasionada pelo aquecimento global, a sociedade precisa estar preparada para prevenir riscos. Ele ressalta que a oficina tem o condão de cumprir o papel da UESPI de informar e capacitar profissionais para lidar com essas informações e problemas. “A nossa intenção é que esse conhecimento acadêmico, adaptado com uma linguagem mais popular, possa aproximar a sociedade da academia e dos órgãos de monitoramento e controle”, finaliza.

 

Seu curso tem um projeto bacana e quer ver ele aqui no site da UESPI?
Envie informações à Ascom para o email: comunicação@uespi.br

Siga a #NossaUespi nas redes sociais: Twitter, Facebook, Instagram e Youtube.