Notícias

23 de Agosto de 2019

“O PRONERA na UESPI me permitiu ter acesso ao conhecimento”, afirma aluna do programa

Por Clayton Gomes

O Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (PRONERA), em convênio com a Universidade Estadual do Piauí (UESPI), é um programa que garante acesso à educação para milhares de jovens e adultos que vivem no campo e  visa o desenvolvimento do campo científica e tecnologicamente.

Em fevereiro de 2019, a UESPI formou sua primeira turma na modalidade PRONERA com 35 pedagogos oriundos de assentamentos, acampamentos e quilombos de norte a sul do Piauí. Eles agora estão aptos a atuarem em escolas do campo multiplicando os conhecimentos adquiridos na formação. Atualmente, dois cursos na modalidade estão em andamento na UESPI: Agronomia, em Parnaíba, e Geografia, em Teresina.

Uma das estudantes do PRONERA/UESPI é Maria Lucimar Soares, de 39 anos. Licencianda em Geografia, Lucimar terminou o ensino médio em 2003, após interrupções devido às condições de vida e a rotina diária no campo. Filha de assentados, a futura professora de Geografia viu no curso uma oportunidade única de ingressar em uma universidade.

“O PRONERA/UESPI me afetou de forma positiva justamente pela oportunidade de conquistar algo que era inimaginável há alguns anos. Eu consegui ainda na área que gosto. O Programa me permitiu ter acesso ao conhecimento de forma efetiva”.

Ela conta que o curso tem oportunizado práticas pedagógicas dentro de assentamentos e escolas que têm sido fundamentais, o que tem promovido uma relação de integração com a comunidade. “Durante e após as práticas pedagógicas é muito gratificante ouvir os alunos dizendo que nunca assistiram uma aula de Geografia tão boa. O curso nos dá um suporte como educador, o que nos permite dialogar com a comunidade”, explica.

A estudante afirma que fazer parte do PRONERA/UESPI é uma realização pessoal e coletiva, onde todos compreendem a necessidade de lutar por educação de qualidade e pela efetivação de políticas públicas que possam olhar para as especificidades do campo. Ela destaca, ainda, que o programa permitiu a pessoa do campo a também realizar pesquisas e apresentá-las, com a proposta de mudar a realidade local.

“O curso tem sido uma oportunidade única para mim. Por ser da zona rural, nunca sonhei em chegar tão alto. Antes de vir ao assentamento, o meu pai sempre trabalhou em fazendas dos outros. Foi sempre muito difícil para mim e para os meus cinco irmãos. Quando vim para o assentamento interrompi meus estudos na 5ª série. Só depois de alguns anos que voltei. Com todas as dificuldades que enfrentamos, a nossa família ter um pedaço de terra para plantar me possibilitou estar onde estou. Apesar das dificuldades, tudo tem valido a pena”.

Lucimar Soares sonha em ser professora e mudar a realidade de sua comunidade | Foto: Arquivo pessoal de Lucimar Soares

Ela torce para que o PRONERA seja cada vez mais consolidado e alcance mais pessoas, pois a partir disso os educadores poderão contribuir de forma significativa para a educação e o desenvolvimento do campo, lutando em prol dos espaços de formação educacional das comunidades, associações e escolas do campo. “Nós sabemos a carência e a realidade do nosso povo. Olhamos para os nossos assentamentos e percebemos que são poucas as pessoas que têm uma formação e a gente fica feliz quando observa as marcas positivas que o PRONERA têm deixado”.

Questionada sobre como ela pode contribuir positivamente dentro do campo, a estudante conta que o PRONERA tem ajudado a entender o conceito de educação e como ela deve ser construída e feita. “Nós poderemos contribuir com as lutas da comunidade, levar educação a elas e melhorar a vida no campo, além da implantação e implementação de políticas públicas que assegurem os nossos direitos. Quem está na Universidade tem voz e precisa usá-la em prol da comunidade. Precisamos lutar!”, finaliza.

Apresentação de atividades na turma de Geografia | Foto: Arquivo pessoal de Lucimar Soares

Segundo a Coordenadora do Pronera/UESPI, Waldirene Lopes, a importância do programa dentro da UESPI remete a duas perspectivas: institucional e social. Institucionalmente, o PRONERA na UESPI destaca algumas particularidades que precisam ser percebidas pelos docentes em suas atividades pedagógicas no intuito de convergir os requisitos científicos com as especificidades dos discentes em sua formação. Socialmente, o convênio permite a consolidação do vínculo academia/sociedade de forma muito nítida.

“O PRONERA tem proporcionado a preparação de jovens para assumirem postos de trabalho e liderança em suas comunidades. Dessa forma, podemos dizer que o Programa representa uma formação que atua nas dimensões científica, profissional e principalmente humana”, finaliza a Coordenadora.

Seu curso tem um projeto bacana e quer ver ele aqui no site da UESPI?
Envie informações à Ascom para o email: comunicação@uespi.br

Siga a #NossaUespi nas redes sociais: Twitter, Facebook, Instagram e Youtube.