Notícias

7 de Dezembro de 2017

UESPI debate Indústrias Culturais no século XXI em Simpósio de Comunicação Social

Por Danúbia Rodrigues

Os meios de comunicação ocupam grande parte do nosso tempo, pensamento e relações sociais. Eles nos lançam diariamente informações, músicas, filmes, séries e vídeos. Abordar esse assunto dentro do que chamamos de indústria cultural, é a proposta do Simpósio de Indústrias Culturais no século XXI: mercados locais e regionais.

O evento promovido pelos alunos do 5º período de Comunicação Social da Universidade Estadual do Piauí será realizado entre os dias 11 e 12 de dezembro, no Núcleo Interinstitucional de Estudo e Geração de Novas Tecnologias( GERATEC), do campus Poeta Torquato Neto.

 

 

Com programação inédita, destinada para todos os públicos, sobretudo da área da comunicação, as discussões do evento contarão com a participação de grandes nomes, como a Mestre em Comunicação, Samaria Andrade; o Coordenador de música da Fundação Cultural Monsenhor Chaves, Marlon Rodner; o representante da revista Acrobata, Demétrios Galvão; a Prof.ª Mestra em Comunicação, Sônia Carvalho; e o Prof. Doutor Alexandre Naka da Universidade Federal do Piauí (UFPI), entre outros.

A ocasião dará inicio com a palestra “Indústrias culturais no século XXI”, com a prof.ª Samaria Andrade, onde será debatido o contexto da indústria cultural. “Vamos discutir indústrias culturais: o conceito ao longo do tempo e refletir sobre esse assunto hoje, pensando no contexto e em exemplos que possam ilustrar a discussão. Haverá falas minha e do prof. Alexandre e abriremos para a discussão com a turma”, afirma a docente.

O debate sobre cultura alternativa abrirá espaços para falar da cultura e suas limitações. O poeta e historiador, Demetrios Galvão, comenta que a palestra traz como objetivo mostrar a importância de produzir cultura no Piauí.

“Irei falar da produção cultural independente no campo da literatura. Partindo do universo dos fanzines e seguindo pela minha experiência com os coletivos Academia Onírica e Acrobata, passando pelo meu trabalho como editor nas revistas. Vou desenvolver também a relação entre os universos de edição e publicação em plataforma impressa e eletrônica. O meu objetivo vai ser mostrar a importância de produzir cultura, independentemente das dificuldades ou limitações, ” comenta Demetrios.

Outro eixo importante das discussões do evento será o debate sobre a visão mercadológica no contexto cultural do Piauí. O coordenador de música da Fundação Monsenhor Chaves, Marlon Rodner, abordará sobre a área musical e cultural de Teresina.

” Irei abordar essa temática de como a política cultural ajuda a dá o impulso, e de como ela fomenta tanto para o músico na parte financeira, estrutural e fomentação de público. Então, a abordagem vai ser isso, a gente trocando um pouco de experiência de produção”, afirma Rodner.

Segundo a organização, o simpósio busca refletir acerca da relação entre comunicação e indústria cultural no século XXI no mercado de cultura local e regional. Além da compreensão da importância da área comunicacional no universo mercadológico de bens simbólicos.

Veja a programação  

11/12/2017 (Segunda-feira)

17:30 – Credenciamento

18:00 – Abertura do evento (Prelúdio de Valéria Neves)

19:00 – Mesa Redonda – Indústrias Culturais no século XXI

Profª. Doutoranda Samaria Andrade (UESPI)

Prof. Doutor Alexandre Naka (UFPI)

Mediador: Professor Msc. Américo Abreu

12/12/2017 (Terça-feira)

14:30 – Mesa Redonda: Cultura alternativa no Piauí: realidade e desafios

Palestrantes: Juscelino Ribeiro (Framme), Demetrios Galvão (Revista Acrobata), Thyago Menezes Alves (UFRJ)

Mediadora: Jornalista Eulália Teixeira

18:30  Mesa Redonda – O Mercado Cultural no Piauí

Palestrantes: Marlon Rodner (Coordenador de música da Fundação Cultural Monsenhor Chaves) e Antoniel Ribeiro (Produtor Cultural)

Mediadora: Profª. Mestra Sônia Carvalho

20:30  Encerramento – Apresentação Cultural

Fonte:
Assessoria de Comunicação - UESPI
ascom.uespi@gmail.com